Como o Google seleciona os sites nos resultados de busca


Atualmente, existem incontáveis páginas, palavras, imagens, vídeos e outros tipos de informações na internet, e nesse exato segundo que você está lendo isso, milhões de novas informações ao redor do mundo estão sendo adicionadas a grande rede.

O segredo do Google é seu enorme banco de dados, que está a todo momento organizando e coletando informações sobre essas outras informações que estão sendo adicionadas a internet a cada instante.

Mas com tantos sites e informações, como que raios o Google consegue escolher os resultados mais relevantes para exibir ao usuário? E como consegue fazer isso tão rapidamente?
Nesse tutorial para Webmasters, vamos tentar explicar um pouco desse complexo sistema que é o Google.


O sistema de buscas do Google

Vamos ser sinceros de cara: o Google é uma grande caixa-preta.
Sim, ninguém sabe ao certo os detalhes de seu funcionamento, pois eles não liberam o código de seus sistemas. O que as pessoas sabem, e o que vamos ensinar nesse tutorial, é resultado de anos de experiência de milhões de pessoas ao redor do mundo.

Diariamente, um sistema do Google, chamado Googlebot, ou robô do Google, sai varrendo os mais diversos sites pela internet coletando informações e fazendo avaliações internas para usar em seu banco de dados.

O que a empresa vem, constantemente, dizendo é que os resultados das buscas são o resultado de mais de 200 métricas. Ou seja, eles testam e avaliam mais de duzentos detalhes em todos os sites, para assim escolher que resultado mais relevante exibir.

O que vamos estudar nessa seção do curso HTML Progressivo, é como funciona esse algoritmo, o que ele olha, o que ele vê e como funciona, pois sabendo como funciona poderemos fazer com que nossos sites estejam bem rankeados nos resultados de busca do Google.

Analisando os resultados de busca do Google

“Vocês acabaram de dizer que o Google fica de bico calado sobre seus métodos, e agora vem dizer que vamos estudar como o Google funciona?”.

Sim, através de testes e dicas que o próprio Google dá, podemos trabalhar de modo a otimizar nossos sites para aparecerem bem nos resultados de busca. E não é um bicho de sete cabeças não. Vamos dar alguns exemplos para você .

Fator 1: tanto de conteúdo
Suponha que você tem um site sobre futebol com 40 páginas.
Já o site do Globo Esporte possui milhões de páginas.
Se formos buscar informações sobre futebol, qual site tem a probabilidade maior de aparecer primeiro  nos resultados?
Óbvio que o da Globo. Logo, ter muito conteúdo é interessante para o Google.

Fator 2: tempo de existência
Vamos supor agora que você copiou todo o conteúdo de um site e publicou no seu.
Agora você vai fazer buscas sobre esse conteúdo, qual site você acha que vai aparecer primeiro, o seu site recém criado ou o antigo?
É óbvio que o antigo, pois ele já está há mais tempo nos sistemas do Google, e este avaliou muito bem aquele site.
Agora sabemos que o Google não vai privilegiando sites assim que aparecem, eles precisam passar por testes antes, para saber se são bons.

Fator 3: importância da marca
Agora você virou um editor de jornal online. Você publica diariamente, há anos, notícias sobre sua cidade de 10 mil habitantes.  Veja que agora você tem muito conteúdo, muito tempo de existência e o Google já ‘confia’ em você.
Mas se você buscar por notícias no Google, vai aparecer primeiro seu site ou o da UOL?

Claro que o da UOL, é uma empresa maior, nacional, mais conhecida.
UOL publica notícias sobre o Brasil e o mundo.
A grande maioria das pessoas que ver notícias sobre o Brasil e o mundo, e uma ínfima minoria é que vai querer saber notícias sobre sua cidadezinha.
Ou seja, quanto mais conhecida e respeitada é sua empresa, mais o Google a privilegia nos resultados de busca.

Como podem ver, o Google trabalha com o bom senso, exibindo sempre resultados mais relevantes para a maioria. Esses exemplos foram simples, pois mostram a diferença entre grandes e pequenos sites, grandes e pequenas empresas, resultados que agradam a maioria e resultados que agradam a minoria.

Agora vamos estudar casos em que sites tem relevância e público parecidos.
Por exemplo, se você cria um site ao mesmo tempo que seu vizinho, tem mais ou menos o mesmo tanto de conteúdo, tempo de existência do site e são micro-empresas de mesmo porte.
Como o Google vai analisar esses sites mais parecidos?
Como o Google escolhe entre UOL e Globo?
Se você digita ‘notícias’, vai aparecer notícias da sua cidade, país ou mundo? E qual site vai aparecer primeiro? E o mais importante, o por quê?

Agora a coisa ta ficando mais interessante, não?
Continue estudando.


Um comentário:

Gisela Monteiro disse...

mto interessante esse site... estou adorando!!! parabéns!!!