História e Evolução do Google – As meta tags

Depois que as pessoas descobriram como funciona e como influenciar os resultados da busca do Google, que naquela época era através da troca de links, as coisas precisam mudar, pois a Internet estava uma verdadeira bagunça.

Empresas e mais empresas surgiam, com o único objetivo de criar sites para criar links.
As pessoas contratavam seus serviços, compravam links e era garantia de obter os primeiros resultados nas buscas.

E o Google teve que mudar, selecionar de maneira diferente os sites.
Avaliar só pelos links não funcionava mais. Nesse tutorial de SEO vamos ver com o big G resolveu essa.


Meta tags e sua relação com o Google

Tags você já sabe o que é (se não sabe, estude os conceitos básicos de nossa apostila de HTML), bem como as meta tags, pois ensinamos e mostramos como usar elas, já que são muito importantes na construção de sites.

Mas para quem não leu nossos artigos de HTML, as tags são comandos que escrevemos na hora de criar uma página da internet através de códigos HTML.
Já as meta tags são tags específicas, que servem para o Webmaster mostrar para os navegadores e sites de busca, como o Google, algumas informações sobre a página em questão.

O Google passou a usar então, dentre outras coisas (como idade do site, e links por exemplo), os atributos Meta Description Meta Keywords.

As meta descriptions eram, como o nome pode sugerir, descrição a respeito do conteúdo da página. Por exemplo, se você clicar com o botão direito nessa página e olhar o código-fonte deste tutorial e procurar pro meta description poderá ver:
“Saiba como e porque o Google usava e parou de usar as tags de meta description e keywords para definir o posicionamento dos sites nos resultados da busca.”

Isso é porque definimos assim nossa tag description.
Hoje em dia ela serve apenas para aparecer como informação nos resultados da busca.
Quando você procura algo no Google ou Bing, aparecerá o título das páginas e embaixo uma breve descrição. Essa descrição é a que o Webmaster escolheu.

Junto com a de descrição, outra tag era usada, a de palavras-chave, mais conhecidas por meta keywords. Eram semelhantes a anterior, porém ao invés de ter um texto claro, conciso e explicativo, ela continha as principais palavras chaves da página.
Por exemplo, as principais palavras chave deste artigo de nossa apostila são:
“HTML, SEO, Google, meta tags, meta description, meta keywords”

Assim, quando alguém buscava informações específicas em sites de busca, eles consultavam as meta descriptions e keywords dos zilhões de sites da internet, e usavam essas informações, junto com outras, para decidir a relevância e ordem dos sites nos resultados.

Ou seja, agora não bastava mais entupir os sites com links, as meta informações tinham que ser exatamente as que os usuários estivessem procurando. Mesmo que seu site tivesse centenas de links de um site, e a busca do usuário não tivesse nada a ver com esse site algo de links, ele não seria exibido ao usuário final.  Parece perfeito, não?

Burlando as meta tags

Tão logo descobriram como, os hackers Webmasters passaram a usar as meta tags de forma ilegal.
Por algum acaso você já buscou algo no Google e foi parar em um site que não tinha absolutamente nada a ver com o que você busca?
E, coincidentemente, ele estava cheio de propagandas, banners e janelas chatas pop-ups?

Pois é, são exemplos de sites que burlam o sistema do Google. E isso foi muito comum e fácil de se fazer com as meta description e meta keywords.
Se você tivesse, por exemplo, um site que falava sobre programação, mas queria lucrar com as pessoas que buscavam assuntos sobre BBB, bastava você encher suas meta description e keywords com palavras e textos relacionados aos Big Brother.

O usuário não ia ver essas metas, só os navegadores e buscadores que vêem.
Então quem digitasse sobre BBB iria cair em uma de suas milhares de páginas de programação, mas que tenha meta tags falando de Big Brother.
Ora quem quer ler sobre BBB, não quer saber de programação. Então clicavam na primeira coisa que aparecia na frente, nos sites.
Geralmente essas coisas eram banners ou anúncios de publicidade.


A importância atual das meta tags para o SEO

Hoje em dia, para se posicionar bem nos rankings do Google, a meta description e meta keywords não servem de absolutamente nada.
Isso mesmo, a descrição e palavras-chaves de seus sites e páginas não vão influenciar em sua posição.

"Então não preciso preencher elas, já que não me ajudam no SEO".

Errado. Embora elas não sejam usadas no Google, são utilizadas ainda pelo Bing e outros buscadores.

"Ora, a relevância dos outros buscadores é mínima comparada com o trabalho de preencher todas as meta tags".

Não é só isso. Elas fornecem informações aos leitores que fazem buscas no Google, por exemplo.

Imagina que você faz uma pesquisa sobre apostila de HTML, pois quer estudar por uma.

No primeiro site, super bem rankeado pois é uma empresa conceituada, não há nenhuma meta description.
Então aparece só o nome do site e do título da página.

Na segunda posição, aparece o HTML Progressivo com a seguinte meta description:

"Curso de HTML online, gratuito e completo. Apostila totalmente online, com artigos sobre CSS, SEO e Monetização."

Onde você vai clicar? No site sem meta description ou no de baixo, onde você sabe o que vai encontrar?

A resposta é óbvia, e por si só ela fala da importância das meta tags.

Portanto, preencham todas as meta tags.
Todas. Sempre. Façam uma síntese da página, sobre o que o leitor vai encontrar se clicar.
Deixe-o curioso, faça o sentir vontade de entrar em sua página, deixe o saber que tudo o que ele deseja está em seu site.

Um comentário:

Anônimo disse...

Muito obrigado, por todas as informações prestadas no site HTML Progressivo.