SEO nos dias de hoje - O que o Google não gosta nos sites


Nos artigos anteriores desta seção de SEO, falamos um pouco sobre a história e evolução do Google, que técnicas usou para avaliar e classificar sites, bem como as técnicas que os webmasters usaram para burlar os sistemas do Google.

Nesse artigo vamos explicar algumas coisas que o Google não gosta, o que ele usa pra avaliar e classificar seus sites. E para saber isso é bem simples, basta notar o que não gostamos quando fazemos uma busca no grande G.


SEO nos dias de hoje - O que o Google e os usuários não gostam

Hoje em dia nós usamos o Google diariamente, já faz parte da internet. Nem parece um site ou uma empresa, já se tornou algo que faz parte da vida das pessoas.
O Google atingiu uma qualidade e conceito tão bom, que é comum as pessoas fazerem uma busca e confiarem totalmente nos seus resultados. Isso se deve ao fato de acharmos, em poucos segundos, o que queremos usando seu serviço de busca.

E é isso que importa pro Google: que você faça sua busca e consiga achar exatamente o que desejava.
“Mas peraí, como uma porção de linhas de código vai saber o que eu quero? Vai ler minha mente? Vai adivinhar o que eu gosto? Não existe isso!” pode pensar nosso caro leitor.
Mas o Google não é uma das empresas mais admiradas à toa. Seu serviço é genial, e vamos mostrar como ele faz para exibir o melhor resultado para você.

Para entender o que o Google quer exibir, vamos fazer uma análise diferente:
Vamos descobrir o que ele não gosta de exibir. Um serviço bom é aquele que não faz coisas ruins, concorda?
Então, vamos ver algumas coisas ruins que o SEO pode proporcionar, e o Google está constantemente combatendo: a péssima experiência do usuário.

 Novo foco para o SEO – A experiência do usuário

Esqueçam as farmlinks, os sites com grandes pageranks e a compra de domínio com links de palavras-chaves. O Google está mudando.
Se notar bem, os resultados estão ficando cada vez melhores. É mais difícil procurar uma coisa e achar outra nada a ver (que está lá por técnicas de SEO que tentam manipular os resultados, como compra de links).

Vamos supor que você está procurando um curso de Java. Então vai ao Google e digita “Curso de Java grátis” e o primeiro resultado que vê, clica e entra.
No site, não tem nada de Java, só a venda de cursos, apostilas, livros e publicidade pra tudo que é lado. O que você faz? Imediatamente sai do site.
E o Google sabe disso, e usa esse resultado. Se alguém entra em um site, passa alguns segundos, não clica em nada e rapidamente sai, só há um motivo:  o site é ruim. Ou seja, não é o que o usuário quer. O usuário teve uma má experiência.

Vamos ver outra situação: um usuário procura um curso de linguagem C, e entra em um site que está bem rankeado. Chegando lá, se depara com um micro-site de umas 20 páginas.
Sim, um curso de linguagem C de apenas 20 páginas...mexe pra um lado, mexe pra outro, vê que o material é escasso, fraco, mal-feito e cheio de anúncios. Rapidamente ele sai, seja voltando pro Google ou clicando em propaganda. Mas sai. E o principal: nunca mais volta, nem curte, nem vota no +1 do Google plus. Ou seja, ele também teve uma péssima experiência, e não é pra menos, o site era super-hiper-mega otimizado em SEO, com muitas publicidades, pouco conteúdo e de baixa qualidade.

Mesmo com todos os algoritmos, ainda é possível achar sites bem rankeados, mas sem conteúdo algum, apenas com propagandas e chatas janelinhas pop-up. Geralmente conseguem através de compra de links relevantes. Mas o que você faz ao encontrar um site desses? Sim, fecha e sai.

Também tem aqueles que abrem e você só vê propaganda, sendo necessário rolar a barra pra achar o conteúdo. E dentro do conteúdo tem vários anúncios também. Isso sem contar que metade do site é um paredão de publicidade. Ok, pode até ter conteúdo, mas foi difícil achar. Isso também é ruim e o Google já pune sites assim.

E aqueles e-mails que você recebe, falando de um site ou produto. O mais impressionante destes é que você nunca autorizou ou pediu pra receber e-mail deles. São os famosos e odiados spams. Pessoas compram pacotes com milhares de e-mails para fazer propaganda.
Então, você clica do seu e-mail, entra no site e vê muita propaganda e conteúdo que não te interessa.
Seja sincero: o que você faz quando o conteúdo não te interessa? Ora, sai logo, clica em algo ou simplesmente fecha. E o Google nota isso...vê que saiu de uma conta de e-mail, foi pro site, e de lá saiu ou clicou em anúncio. Uma péssima experiência não.

E aqueles desorganizados, onde não tem um menu, que é difícil achar uma página?
São horríveis, e o Google sabe os links internos do site, ele sabe quando é difícil navegar.
Sabe o que ele nota também? O tempo de carregamento. Quem nunca entrou em um site que levava séculos para carregar? Eu fecho logo.
E aqueles que mostram abrem uma janela enorme, pedindo pra curtir no Facebook ou para inserir seu e-mail para ganhar algum produto? Só entro nesses uma vez, e pra nunca mais.

Dica de SEO

Poderia ficar páginas e páginas aqui falando sobre sites que proporcionam uma péssima experiência ao usuário, e você, como qualquer internauta sabe que esses sites existem aos montes. Mas note uma coisa: com o passar do tempo, eles estão diminuindo.

As coisas estão freqüentemente mudando. Foi-se o tempo das meta­ tags otimizadas demais, dos links sem relevância ou da compra de links com pagerank alto.
O Google vem se modernizando, mudando e aprimorando seus códigos.
Porém, embora venha existido tantas mudanças, elas visam uma única coisa: oferecer bons resultados ao usuário.

Portanto, uma dica de SEO infalível é: nunca faça com seus leitores o que não gostaria que os sites fizessem com você. Não os chateie. Não minta para eles. Não os enganem burlando os resultados de busca. Mostre o que eles procuram. Não os entupa de propaganda.
E o que nós, webmasters, vamos ganhar em troca?
Tráfego! Sim, visitas, muitas visitas. Obter bons resultados com a experiência do usuário é obter excelentes resultados nas buscas do Google.

No próximo artigo vamos focar no mais importante e o que você deve fazer ao criar sites.
Ou seja, vamos ensinar como obter bons resultados nas pesquisas do Google, que é o oposto que fizemos nesse, onde mostramos o que não devemos fazer: assustar o usuário.

5 comentários:

Silvio disse...

Foi a melhor explicação que eu encontrei até hoje, sobre SEO e olha que eu procuro informação na internet o tempo todo!

Apostila HTML Progressivo disse...

Grato pelo comentário Silvio.
Como o foco de nosso site é sobre HTML e não sobre SEO e otimização, vamos sempre direto ao ponto, sem rodeios e sem aquelas coisas vagas que encontramos em sites assim.

Pedimos desculpas pelos transtornos ocasionados pela falta de conteúdo, mas nosso site é bem recente ainda e está em construção.

Naty Grego disse...

Que interessante! Tenho um blog e estou pesquisando esse tipo de informação para turbiná-lo, e vocês conseguiram me explicar direitinho. Ainda não compreendo muito bem essas coisas, mas obrigado pela ajuda ! :)

Anônimo disse...

Mt bom suas explicacoes.
Parabens.

Joseph-Louis disse...

Achei interessante seu blog.
Sugiro tirar essa janela de comentários para comentar aqui, pois isso desotimiza o blog. Coloque a caixinha normal para comentários.